Edilidade cobra pelos serviços que não presta

O atraso na construção do mercado Sangariveira, arredores de Quelimane, já há um ano e muitos meses, está a preocupar moradores e comerciantes, visto que o local improvisado onde estão a vender seus produtos, não oferece condições condignas de comércio, por estar perto da escola bem como da rua principal. Mas mesmo assim, a edilidade cobra valores diários, uma situação vista pelos utentes do local como injusta.

Moradores e os comerciantes aquela zona mostraram este sentimento ao Diário da Zambézia, a propósito do clima de mau ambiente que vem se registando, desde que foi instalado aquele mercado provisoriamente, onde o barulho afecta a escola, comprometendo assim o ensino e aprendizagem dos alunos.

Posted by on Maio 19, 2017. Filed under Destaques, Quelimane. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. You can leave a response or trackback to this entry

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

FOOTER - RIGHT