Gilé: População vandaliza Comando da Polícia

A vila sede Gilé, norte da Zambézia acordou esta manhã com uma perturbação da ordem e tranquilidade pública, tudo por causa do famoso chupa-sangue, um mito que tem vindo a ser propagado um pouco pela província toda, onde as populações dizem que há um grupo de pessoas desconhecidas que a calada da noite passam com instrumentos nas residências para chupar sangue das pessoas.

Até agora, ninguém já mostrou evidências, mas o boato está trazer muitas consequências sobretudo para os líderes comunitários tidos como os protectores destes tais chupa-sangue.

Na manhã desta quinta-feira, um grupo de populares dirigiu-se ao Comando da Polícia da República de Moçambique naquela região da Zambézia e vandalizou as instalações tendo retirado algumas pessoas que se encontravam detidas na semana passada acusadas de terem sido os “cabecilhas” do recente vandalismo à casa de um líder em Muiane.

Para além do Comando, também as instalações do governo distrital não escaparam. Até por volta do meio dia desta quinta-feira, Joaquim Pahare, administrador do distrito e o seu Secretário Permanente, Luís Moiane encontravam-se escondidos evitando males maiores.

Entretanto, o governador da Zambézia, Abdul Razak já confirmou a ocorrência, tal como também a Polícia em Quelimane, mas o chefe do executivo da província disse que o governo vai trabalhar com a população para explicar que é um simples mito.

Ver mais detalhes na edição impressa desta sexta-feira

 

Partilhe nas Redes Sociais

Submit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn