Queda da madeira influencia na colecta de receitas

Os apertos que o governo através do Ministério da Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural tem vindo a fazer no controle da madeira, está a reflectir-se nas receitas da Autoridade Tributária de Moçambique na Zambézia.

Os números revelam uma queda na colecta de receitas nos primeiros dez meses com cerca de 15% de défice quando comparado com igual período do ano passado. Mas mesmo assim, a AT diz que tem alternativas para atingir com a meta planificada.

Ver detalhes na edição impressa

INAE encerra fábrica de frezes

A Inspecção Nacional das Actividades Económicas na Zambézia(INAE) encerrou a fábrica de produção de frezes na cidade de Quelimane, localizada próxima aos Capuchinhos, por falta de higiene e também baixa qualidade do produto.

Segundo soube o Diário da Zambézia, a INAE também enviou amostras ao laboratório para aferir que quantidades de produtos estavam ser usados para a produção daquela fruta gelo que deixava os consumidores agastado. Porém, contactado o proprietário, este alegou que encerrou a mesma por motivos de doença.

Ver mais detalhes na edição impressa.

Sociedade Civil questiona o destino da madeira da “Operação Tronco”

Membros da Sociedade Civil (SC) na Zambézia, exigem ao governo a esclarecer o paradeiro da madeira apreendida, na chamada Operação Tronco, uma acção de fiscalização de madeira contrabandeada, levada a cabo pelo Ministério de Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural (MITADER), através das Direcções provinciais de Terra, Ambiente e Desenvolvimento Rural (DPTADER).

Trata-se duma operação cujos objectivos tinham em vista, desencorajar os madeireiros furtivos no processo de exploração e de transporte ilegal da madeira, que para o caso da província da Zambézia, até ao momento não se sabe o destino dos cerca de 5 mil troncos apreendidos nesta acção do governo, daí que exige-se o esclarecimento.

A exigência foi feita na última segunda-feira (30) em Quelimane, a margem da 2ª Sessão plenária provincial, do 14º Observatório do Desenvolvimento da Zambézia, alargado para os membros da Sociedade Civil, que levantaram o facto onde também esteve estendida aos administradores distritais, membros do governo provincial, convidados permanentes entre outros estratos sociais, cuja finalidade estava ligada ao esclarecimento de acções supostamente mal paradas levadas a cabo pelo governo da Zambézia.

Preço do Cimento de construção baixa em 40%

Ao nível da cidade de Quelimane o preço de cimento sofreu uma queda de 40%, onde este material de construção de habitação chegou a custar 560 Meticais há 9 meses, mas que actualmente o preço ronda em média de 460 Meticais.

Em entrevista ao Diário da Zambézia, o técnico de Índice de Preços do Consumidor do INE, Eugénio da Costa disse que o preço de material de construção com maior destaque para o Cimento, tende a baixar nas várias ferragens que existem na cidade, mas reiterou que este produto e vários outros de construção civil ainda não estão a entrar na média para o cálculo de inflação da cidade de Quelimane. “Ao nível do INE Central poderá ser determinado quando e que estes preços poderão entrar na media para o calculo da inflação” - disse para depois acrescentar que a recolha destes preços tem estado a ocorrer com um tratamento diferenciado correlação aqueles que constituem a cesta básica para o calculo de Índice de Preço do Consumidor na cidade.

Chefes dos Postos roubam dinheiro do CENSO-2017

Dois chefes dos Postos Administrativos, nomeadamente de Regone e Namarrói-sede, na Zambézia aguardam pelo julgamento, indiciados no desvio de fundos do Estado, no valor estimado em pouco mais de 300 mil meticais, durante o processo de Recenseamento-geral da População e Habitação que decorreu neste ano.

Tratou-se do dinheiro destinado para pagar os candidatos às vagas de controladores e de recenseadores respectivamente, quando decorria a formação dos mesmos que teve lugar no princípio do mês de Julho do ano corrente, naquela parcela da província da Zambézia.

Armando Terenha Terenha, Delegado de Instituto Nacional de Estatística (INE) na Zambézia, em entrevista ao Diário da Zambézia, explicou que a denúncia deste caso veio do Gabinete do Recenseamento daquele distrito, depois de uma supervisão feita a nível local, e sem esperar, verificou que as sedes destes dois postos administrativos do distrito de Namarrói, no norte desta província desviaram o dinheiro, apesar de não ter havido nenhuma reclamação por parte dos candidatos as vagas de controladores e de recenseadores, correlação aos seus ordenados.