Politica

Ministério Público investiga negócio do Hotel Zambeze

Depois de várias denúncias em torno do negócio da venda do Hotel Zambeze protagonizado pela Fundação Mahomed Faruk e a direção provincial de Saúde na Zambézia onde foram envolvidos cerca de 281 milhões para compra de seis quartos para médicos, onde quase todos desconfiam haver algum gato escondido, a Procuradoria-geral da República de Moçambique afiançou que o assunto já está ser investigado.

A informação foi dada nesta segunda-feira por Amabélia Chuquela, Procuradora-Geral-Adjunta, durante a sua passagem pela província da Zambézia. De acordo com Chuquela, o Ministério Público já orientou que se investigue este caso e a equipa está a trabalhar no assunto.

Ver mais na edição impressa

Intercalares em Nampula: CM fixa 24 de Janeiro de 2018

O Conselho de Ministros(CM),  deliberou esta terça-feira(7) sobre a data para a realização de eleições intercalares na autarquia de Nampula, norte de Moçambique. O Diário da Zambézia sabe de fontes bem posicionadas na Comissão Nacional de Eleições (CNE) que aquele órgão de gestão eleitoral enviou na semana passada, uma proposta com o calendário eleitoral.

Assim sendo, segundo a mesma fonte, as eleições serão realizadas no dia 24 de Janeiro próximo enquanto que o período de campanha decorrerá  entre os dias 8 à 21 do mesmo mês, não havendo assim espaço para actualização dos cartões de eleitor.

Ver mais detalhes na edição impressa

Frelimo tem novos chefes para Zambézia

A Brigada Central do Partido Frelimo para assistência a província da Zambézia mudou de nomes e caras. Alberto Vaquina e Esperança Bias que vinham dirigindo as acções do partido a partir da Comissão Política já foram mudados.

Marcelo Chaquisse ex-DPA expulso do Estado

O então director provincial da Agricultura e Segurança Alimentar na Zambézia, Marcelo Chaquisse, foi expulso do aparelho do Estado na sequência do caso de corrupção em que é acusado pelo Ministério Público na Zambézia, no chamado “Caso Chaquisse”.

Conforme soube o Diário da Zambézia, a decisão da expulsão de Chaquisse foi tomada pelo ministro do pelouro, José Pacheco em Outubro passado e já é do conhecimento do governo provincial. Foi dai que, na última sessão que o governo provincial realizou há dias alargada aos administradores distritais, anunciou que Chaquisse já não faz parte da máquina do estado.

Veja mais na edição desta sexta-feira

Renamo chora morte do seu deputado

Perdeu a vida no último sábado em Quelimane, o deputado da Assembleia da República pela bancada parlamentar da Renamo, Bonifácio Nicasse, vítima de doença.

A morte de Nicasse foi anunciada pelo delegado político provincial do seu partido, Abdala Ossifo Ibraimo e de acordo com o delegado, Nicasse ficou internado no Hospital Central de Quelimane(HCQ) e não conseguiu resistir tendo perdido a vida.

A Renamo na Zambézia chora pelo seu quadro que já foi delegado político provincial por duas vezes e segundo aquela formação política, Nicasse foi um grande mobilizador e fez com que a Renamo lograsse seus intentos políticos. O delegado explicou que neste momento de dor e luto, a Renamo diz ter sensibilizado os membros a pegarem os ensinamentos deixados por Nicasse como um arma para democracia. “Todos choramos a morte do nosso colega e mobilizador nato”– lamentou o delegado da Renamo nesta parcela do país.

Num outro desenvolvimento, a Renamo considera que Bonifácio Nicasse foi “mestre” de mobilização e sendo ele deputado, as suas exéquias fúnebres vão ter todas honras do estado em Mocuba neste quarta-feira onde vão descansar os seus restos mortais.

Bonifácio Nicasse nasceu em 1958 em Mocuba na Zambézia e morre aos 59 anos de idade e os seus restos mortais vão a enterrar esta quarta-feira numa cerimónia do estado.