Ministério Público investiga negócio do Hotel Zambeze

Depois de várias denúncias em torno do negócio da venda do Hotel Zambeze protagonizado pela Fundação Mahomed Faruk e a direção provincial de Saúde na Zambézia onde foram envolvidos cerca de 281 milhões para compra de seis quartos para médicos, onde quase todos desconfiam haver algum gato escondido, a Procuradoria-geral da República de Moçambique afiançou que o assunto já está ser investigado.

A informação foi dada nesta segunda-feira por Amabélia Chuquela, Procuradora-Geral-Adjunta, durante a sua passagem pela província da Zambézia. De acordo com Chuquela, o Ministério Público já orientou que se investigue este caso e a equipa está a trabalhar no assunto.

Ver mais na edição impressa

Partilhe nas Redes Sociais

Submit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Depois de várias denúncias em torno do negócio da venda do Hotel Zambeze protagonizado pela Fundação Mahomed Faruk e a direção provincial de Saúde na Zambézia onde foram envolvidos cerca de 281 milhões para compra de seis quartos para médicos, onde quase todos desconfiam haver algum gato escondido, a Procuradoria-geral da República de Moçambique afiançou que o assunto já está ser investigado.

A informação foi dada nesta segunda-feira por Amabélia Chuquela, Procuradora-Geral-Adjunta, durante a sua passagem pela província da Zambézia. De acordo com Chuquela, o Ministério Público já orientou que se investigue este caso e a equipa está a trabalhar no assunto.

Ver mais na edição impressa