Maganja da Costa

Lojas saqueadas pelo boato de amarra-chuva

Seis cidadãos estão à contas com a Polícia da República de Moçambique no distrito da Maganja da Costa e na Zambézia, indiciados de assalto e saque a estabelecimentos comerciais, cujos prejuízos preliminares estão avaliados em mais de 950 mil meticais. Para lograrem seus intentos, os indivíduos agora nas mãos da polícia local, alegaram que os comerciantes e ou agentes económicos daquela região, impedem a caída da chuva naquela região, através do chamado fenómeno de amarra-chuva, em beneficio de seus negócios, prejudicando deste modo a população que depende da chuva principalmente para a pratica da agricultura.

O facto teria acontecido por volta das 12horas no posto administrativo de Nante naquele ponto da província, onde um grupo de nove indivíduos levantou furor contra todos agentes económicos, exigindo que estes desatassem a chuva e caso ao contrário, ficariam sem nenhum bem comercial e na sequência disso, saquearam vários bens materiais incluindo géneros alimentares.

A Polícia da República de Moçambique na Zambézia, através do respectivo porta-voz, Miguel Caetano, confirmou a ocorrência tendo dito que para travar os ânimos destes cidadãos que se faziam passar de vítimas mas que na verdade seu maior propósito era sabotar os agentes económicos, foi preciso a intervenção da Unidade de Intervenção Rápida (UIR), que trataram de neutralizar e deter os infractores. Neste momento segundo Miguel Caetano, três dos nove indivíduos que protagonizaram esta acção criminosa, encontram-se fugitivos e na sequência disso, este acrescentou que decorrem diligências visando a neutralização dos mesmos, numa altura em que esta sendo legalizada a prisão legal dos outros seus infractores que encontram nas malhas policiais.

Maganja da Costa: Ventos fortes deixam famílias ao relento

Os ventos fortes que se registaram no final do dia 13 de Dezembro corrente, deixaram algumas famílias sem tecto na Vila autárquica da Maganja da Costa, província da Zambézia, conforme apurou o Diário da Zambézia.

O impacto dos ventos fortes acompanhados de chuva, deu-se mais no bairro Sironge, arredores da vila, onde esta calamidade deixou perto de doze famílias sem abrigo, visto que as suas habitações de material precário foram destruídas pelos ventos fortes que se abateram sobre aquela região.

Informações vindas da Maganja da Costa, indicam que algumas casas desabaram na totalidade, enquanto que outras em número não especificado, viram os tectos a serem levados com o vento. Para além de habitações, houve queda de árvores que por muitas horas obstruíram as vias de acesso, mas sem causar vítimas humanas.

Refira-se que alguns distritos desta parcela do país, estão desde a noite desta quinta-feira a registar mau tempo, caracterizado por chuvas fortes à moderada e ventos que vão até 50 km/h conforme havia alertado o Instituto Nacional de Meteorologia.

Fotos cedidas gentilmente por Cláudio Marcano