Morrumbala

Morrumbala: Avaria de equipamento inviabiliza prova de vida

O distrito de Morrumbala na Zambézia, está há sensivelmente duas semanas sem realizar a prova de vida para os funcionários e Agentes do Estado (FAE), devido a avaria do equipamento informático que havia sido alocado para o efeito. Na sequência disso, os gestores daquele distrito socorrem-se nos distritos de Quelimane e Mopeia na província, Mutarara na província de Tete e Caia em Sofala, para realizar a prova de vida, com vista a garantir maior controlo e actualização dos seus dados, nos sistemas de cadastro dos Funcionários e Agentes do Estado.

Alguns funcionários interpelados na semana finda pelo Diário da Zambézia, que não quiseram dar cara por temer represálias, contaram que a situação vem se arrastando desde a primeira quinzena deste mês que termina hoje, e, de lá para cá, não há informação sobre a concertação do equipamento em causa. Por outro lado, os nossos interlocutores foram mais longe ao afirmar que esta situação faz gastar muitos recursos financeiros e esforços físicos, visto que são obrigados a deslocar para distrito circunvizinhos para fazer prova de vida, sabido que este processo é obrigatório.

Polícias roubam cabritos e são presos

Três agentes da Polícia da República de Moçambique afectos ao Comando Distrital de Morrumbala na Zambézia, encontram-se detidos por terem sido acusados de roubar cabritos no Posto Administrativo de Chire. Os mesmos fizeram-se passar de controladores, exigindo ao proprietário dos cabritos uma guia de transporte e não tendo, os mesmo decidiram roubar-lhe, tendo depois denunciados pelos populares.

Ver detalhes na edição impressa.

A terra tremeu em Morrumbala mas sem causar danos

O distrito de Morrumbala na Zambézia registou um tremor de terra quando eram 14:05minutos deste domingo(12). Conforme informações que o Diário da Zambézia teve a partir de alguns residentes daquela vila, o tremor foi de alguns segundo, não sabendo no concreto quantos segundos foram e muito menos o epicentro do mesmo.

O administrador daquele distrito Pedro Sapange, disse em exclusivo ao Diário da Zambézia que também sentado na sua residência começou a sentir um abanar dos imóveis e os vidros da casa abanando, mas sem nada ter caído. Sapange garantiu que já comunicou ao governo provincial sobre o sucedido, embora não tenha ainda recebido relatos de danos.

Já o director provincial dos Recursos Minerais e Energia na Zambézia, Almeida Manhiça, ficou sabendo em primeira mao com o DZ sobre este sucedido, mas minutos depois fez saber que oficialmente a sua instituição não pode dizer nada até que as instâncias que velam por fenómenos como estes se pronunciem.

Refira-se que logo após este registo de tremor de terra, o distrito de Morrumbala começou a ser fustigado com chuvas de grande intensidade.

Conteúdo em actualização.

Agência americana usada numa burla

Várias pessoas no distrito de Morrumbala, província da Zambézia foram burladas valores que variam de 10 mil a 30 mil meticais, alegadamente para conseguirem emprego numa agência dos Estados Unidos da América.

Conforme apurou o Diário da Zambézia, o protagonista desta acção criminosa é um cidadão cuja a identidade não obtivemos, mas que terá usado o nome da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional(USAID) para lograr os seus intentos.

Nos últimos tempos, não se falava mais nada em Morrumbala senão esse assunto de emprego, porque o tal burlador até produziu camisetes, carimbos e outro material usando logótipo da USAID. Sabe o Diário da Zambézia que nesta burla, também altos responsáveis do governo local, entregaram suas viaturas, residências e outros meios para servirem ao referido projecto fantasma da USAID. Aliás, alguns comerciantes que possuem casas, até cederam para que o burlador e seus comparsas pudessem usar como alojamento. Entretanto, os americanos já reagiram a esta acção de burla protagonizada por estranhos.

Veja o que dizem eles na edição imprensa