Governo rescinde contrato com a Cornelder Quelimane

O governo moçambicano decidiu na sessão de Conselho de Ministros desta terça-feira(19), rescindir contrato com a Cornelder Quelimane, concessionária do Porto de Quelimane.

Conforme explicou a porta-voz do Conselho de Ministros, Ana Comuane, a gestão do Porto de Quelimane, passa para a empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique. Segundo Comuane, a rescisão do contrato visa melhor o ambiente de negócio na Zambézia e também proporcionar melhores condições na gestão do Porto.

Refira-se o contrato entre a Cornelder e o governo moçambicano era de 50 anos, mas de uns tempos para cá, com a queda do negócio da madeira, o Porto de Quelimane ficou insustentável por parte dos gestores. Importa sublinhar que a reabilitação do Porto de Quelimane, o governo pediu empréstimo num banco alemão, na altura em que Tomás Salomão era ministro dos Transportes e Comunicações.

Ver mais detalhes na edição impressa.

Partilhe nas Redes Sociais

Submit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn