Procuradoria atenta ao negócio do Hotel Zambeze

A Procuradoria Provincial da Zambézia reafirma que o caso do negócio Hotel Zambeze ainda não está esquecido, porém esclarece que decorrem providencias visando ouvir as pessoas que avalisaram o negócio da compra daquela infraestrutura que custou aos cofres do estado 281 milhões de meticais, venda feita pela Fundação Mahomed Faruk.

A informação foi confirmada esta quinta-feira (01) pelo Procurador-Chefe Provincial, Miguel Cândido, à margem da abertura do ano Judicial. De acordo com o Cândido, o Ministério Público garante que não vai deixar passar o caso do negócio Hotel Zambeze sem que tenha o seu desfecho. E uma das formas de ter esclarecido este caso, segundo o Procurador, é dar seguimento a partir dos processos até aos que aprovaram.

O negócio do Hotel Zambeze denunciado pelo Diário da Zambézia e depois partilhado por outros órgãos de comunicação, foi bastante badalado, onde os intervenientes, neste caso, o director provincial de Saúde, Hidayat Kassim, o governador Abdul Razak e o cidadão Mansur Faruk, todos dizem que foi limpinho, limpinho. Mesmo com tanto barulho, os compradores e vendedores, nem se quer deram ouvidos, continuando assim no negócio. Depois disso, o MP explicou que abriu um Processo com o nr 656/04/Q/2017 mas que até ao momento continua a busca de elementos para sustentar a acusação.

Partilhe nas Redes Sociais

Submit to DiggSubmit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to StumbleuponSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn