Saúde

Combate a desnutrição nas crianças com mais meios

O Fundo das Nações Unidas para Infância (UNICEF), procedeu esta sexta-feira(24) a entrega meios circulantes como viaturas e motorizadas ao governo da Zambézia, para o combate a desnutrição que afecta maior parte das crianças nesta parcela do país.

No total são 56 motorizadas e 19 viaturas que foram entregues aos distritos de Pebane, Mulumbo, Lugela e Gurué que vão ser usadas para actividades integradas tais como educação sanitária, Programa Alargado de Vacinação(PAV), abastecimento de água entre outras que o governo tem como prioridade.

Falando na ocasião, o representante da UNICEF, Michael Chinedza, disse que a sua organização faz a entrega daqueles meios como resultado do trabalho que tem vindo a desenvolver nesta parcela do país em particular e no país em geral em prol da ciranca. Chinedza sublinhou que com estes meios, espera-se a redução dos índices de malnutrição nas crianças.

Por seu turno, o governador da Zambézia, Abdul Razak, disse que os meios devem ser usados primeiro de forma racional para que de facto sejam alcançados os objectivos desta acção, para mais adiante pedir a todos para que hajam resultados palpáveis nestas áreas que o governo e seus parceiros alocam meios.

Refira-se que a província da Zambézia é a segunda com casos de desnutrição crónica, daí estes esforços todos visam reduzir estes índices.

Fuga de médicos para as ONGs e suas consequências

Quase todos anos, o país regista uma saída “massiva” do pessoal de Sistema Nacional de Saúde para as Organizações Não Governamentais.

Todos alegam que vão a procura de melhores condições de vida, sobretudo os salários que o estado não consegue dar, mesma sabendo que eles juraram servir este mesmo estado. Na Zambézia, com tantas ONGs que trabalham na área de saúde, o interesse também é maior, por isso, médicos e enfermeiros abandonam de forma massiva o Serviço Nacional de Saúde.

Veja nas próximas horas, a Reportagem especial sobre as consequências que essa saída traz para o sector de Saúde.

Campanha Nacional de Saúde satisfaz as autoridades

A direcção provincial de Saúde da Zambézia, mostra-se satisfeita com os resultados alcançados na recente Campanha Nacional de Saúde da Criança realizada na semana finda em todo país.

Falando na última sessão do governo provincial, realizada há dias, o director provincial do pelouro nesta parcela do país, Hidayat Kassim, diz que os propósitos desta campanha foram alcançados, sendo que as mães tiveram a consciência de levar os seus filhos aos diversos postos de vacinação conforme o sector vinha apelando. De acordo com Kassim, isso significa que há cada vez mais a mentalidade de olhar a saúde como prioridade.

Foto: Rádio Paz

Vigilantes afectos ao HCQ em greve

Mais de trinta vigilantes da empresa Só-Proteção, afecta a guarnição do Hospital Central de Quelimane(HCQ) na Zambézia, estão em greve. Em causa, estão mais de três meses de salários que o patronato deve. Nestes dois dias, portanto, ontem e hoje, os vigilantes paralisaram logo pela manhã as suas actividades como forma de pressionar o patronato a liquidar os salários.

Porém, sabe o Diário da Zambézia que quando a direção da empresa fez-se ao local, e pagou a cada um dos vigilantes apenas Mil meticais, alegando que é para tratar documentos que lhes garantam a recepção de salários. Refira-se que a Só-Proteção recebe mensalmente do HCQ cerca de 312 mil meticais e o contrato de trabalho que tem é de sete meses.

Ver todos detalhes na edição impressa já disponível.

Director da Saúde não dá argumentos convincentes

Há mais de duas semanas circulava nas redes sociais, um Comunicado vindo da direcção provincial da Saúde da Zambézia, dirigida para todas as farmácias privadas e públicas da província, para retirar das suas prateleiras o medicamento Fenoximetilpenicilina 500mg, que era tido como impróprio á mais de duas semanas circulava nas redes sociais, um Comunicado vindo da direcção provincial da Saúde da Zambézia, dirigida para todas as farmácias privadas e públicas da província, para retirar das suas prateleiras o medicamento Fenoximetilpenicilina 500mg, que era tido como impróprio surpresos com o Comunicado, disseram ao Diário da Zambézia, que nunca receberam algum documento vindo da DPS, dai que eles só poderiam pronunciar-se se a direcção da Saúde os solicitasse.

Ler mais...